RÁDIO

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

POESIA

RÉU

Ninguém
não há ninguém!
Apenas o silêncio perdura
preenchendo o espaço escuro onde estou.
Neste momento,
tu despertas lá dentro
e sem que eu te convide
aproximas de mim.

Diante de ti
eu paro, emudeço,
baixo a cabeça só para te ouvir.
Apontas meus erros,
meus tropeços, minhas falhas...
Julgas-me, me acusas,
Roubas meu sono,
Não me deixas dormir!

Até o leito
que outrora
convidou-me a deitar,
agora aquecido, me expulsa
faz-me levantar!

Sei que não posso fugir de ti,
estavas lá quando errei.
por isso, tira-me a paz,
esmagas Minh ‘alma culpada,
interrogas meu espírito abatido,
ameaças e persegues
o meu indefeso ser.

Não há consôlo pra ti,
não há escape,
não há saída,
não há defesa.
E a noite que passa com passos curtos
apenas retarda o dia,
a trégua que o tempo me dar,
pra de novo entrar pela noite
e enfrentar você
que tornará a me acusar.

Clóvis Amaral
Direitos autorais reservados

POESIA

MENINA NUA

Lua, lua...
...menina nua
no imenso céu,
face dourada
que adorna o negro véu.

Lua, lua...
...menina nua,
solitária e tão longe
que mesmo distante
fascina o olhar.

És observada
Espelhada nas águas
serenas e plácidas
do gélido mar.

Lua, lua
Que coroas a noite
és admirada,
mas não te podem tocar!

Clóvis Amaral
Direitos autorais reservados

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013


PONTO  DE VISTA: 

JESUS  SABIA OU NÃO O DIA DE SUA SEGUNDA VINDA?

Em Mateus no capítulo 24 e versículo 36 encontramos a seguinte declaração de Cristo: “Porque o dia e a hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o filho, mas unicamente meu Pai”.

Para uma compreensão exegética deste versículo precisamos primeiramente ler todo o seu contexto, por que utilizar um texto sem analisar o seu contexto é pretexto para heresias. Afirmar categoricamente que Jesus não sabe é dizer que Ele não é Deus e não sendo Deus também não é onisciente, onipotente, onipresente e imutável. Assim teremos sérios problemas de interpretação e  cairemos na doutrina de algumas seitas heréticas que afirmam que Jesus não é Deus. Sendo Deus, Ele não pode ser meio Deus, ou apenas um deus, ou Deus limitado. Mas porque então Ele disse que nem os Anjos do Céu, nem o Filho sabem, mas somente o Pai sabe o Dia e a Hora? Simples,  note que o tempo verbal está no presente do indicativo  “ninguém sabe”, Ele não disse ninguém mais saberá, significando que cinco minutos após, alguém poderia saber, entretanto para o fato específico de sua vinda disse que viria como um ladrão levando a entender que ninguém na terra iria saber, porém nos últimos versículos do livro de Mateus Ele diz: “É-me dado todo poder no céu e na terra”. E agora? Ele sabe ou não sabe?  

Temos ainda que, quando Ele Fala: “nem o filho sabe,” Ele está se referindo a si mesmo na condição de homem, porque no céu seu nome é VERBO DE DEUS (Logos theos) A palavra Logos pode ser traduzida como Palavra ou Verbo) conforme Apoc 19:13 ou o conhecido João 1:1-14, e logo na condição de homem jamais diria “Eu sei”, pois estaria violando o acordo que fez com o PAI na Eternidade, porque o PAI estabeleceu pelo seu próprio poder os tempos e as estações e não convinha aos homens saberem dessas coisas.

Daí a perfeita colocação de Jesus já ressurreto em Atos 1:7, “Não compete a vós saber os tempos e épocas...” Ele agora não se inclui no fato de não saber, ou de não dizer respeito a Ele o assunto, pois do contrário diria respondendo a pergunta, não “compete a nós saber". Ele utiliza nesta passagem a terceira pessoa do plural, “vós”

É bem verdade que existem pastores e “estudiosos” afirmando categoricamente que Jesus não sabe com base unicamente num versículo isolado da Bíblia. Mas a partir do momento que alguém diz se referindo a Jesus que Ele não sabe de determinada coisa, afirmam simplesmente que Jesus não é Deus. Precisamos entender os dois momentos de Jesus: Ele vivendo seus momentos como homem, sem no entanto, deixar de ser Deus, e vivendo seus momentos como Deus. Infelizmente é mais fácil engolir o que se ouve do que dar uma de Bereano.

É claro que em tudo isso há um mistério de Deus e que nós humanos não devemos questionar sobre seus propósitos. Vamos partir do princípio que, se Ele respondesse diretamente aos discípulos que sabia o dia de sua vinda e dissesse quando seria, o que aconteceria com a humanidade? – Acho que haveria um relaxamento (esfriamento) espiritual e acabaria com a expectativa de que a qualquer momento Ele poderia  vir. O gostoso da vida Cristã é viver a expectativa da volta de Cristo o que gera a necessidade de se buscar a Deus constantemente, por isso que de forma muito sábia Ele não nos revelou.                                                                         
                                                                                                          Clóvis Amaral

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013


OPNIÃO: Medo do fim do mundo

Dentre os sentimentos negativos presentes na vida do ser humano, o medo se destaca como o mais comum e frequente. Este sentimento tem provocado grandes preocupações e desencadeado outros sentimentos como angústias, tristezas, dor interior, inferioridade etc. Além disso, o medo tem causado depressões no homem que tem sido diagnosticada como a doença do século e que nas próximas décadas atingirá milhões de brasileiros.  

Sem lançar mão dos conceitos gramaticais para definição de “medo” podemos entendê-lo que ele é o resultado do conhecimento por parte do homem de que uma de suas áreas está desprovida de segurança, total ou parcial, podendo ser desde recursos matérias, físicos e espirituais como a sua própria vida. Daí, entendemos por que uma criança tem medo de “bicho papão”, “mula sem cabeça” e ficar de castigo. Na verdade, ensinaram para ela que “bicho papão” e “mula sem cabeça” são personagens que ameaçam sua segurança.

O “medo do fim do mundo” é o medo que está no topo da lista dos medos, pela simples razão de ser ele o responsável pelo pavor coletivo em grandes escalas e por ameaçar a segurança em todas as áreas da vida do homem, inclusive de sua existência. Por esta razão, os homens tem se amedrontado diante da realidade de um fim. Exemplos claros desta afirmação são as ocorrências acontecidas em todo o mundo. Em janeiro de 2005 numa cidade a 500 km do sul de Santiago no Chile, doze mil pessoas deixaram suas casas, para se refugiar nos lugares mais altos devido uma falsa notícia de que o fim do mundo estava chegando através de um gigantesco maremoto. Em dezembro de 2011 na cidade de Villavicencio na Colômbia, uma mensagem de texto transmitida em redes sociais informava que uma represa iria romper e acabar com a cidade. O resultado disso foram milhares de pessoas feridas e correndo desesperadas. No ano de  2006 no Cabo de Santo Agostinho, região metropolitana do Recife uma notícia de explosão de uma fábrica, seria o fim do mundo para toda uma região e naquela ocasião também ocorreram preocupações, abandonos de casas e muito pavor.  Em Dezembro de 2012 na cidade de Alfredo Chaves – ES, uma notícia criminosa de um rompimento de uma barragem, também colocou a população em pânico deixando 3.000 pessoas feridas, devido principalmente, aos acidentes de trânsitos em consequência do desespero e correrias.

Um dos fatos mais recente foi a noticia divulgada em todo o mundo que o fim aconteceria no dia 21 de dezembro de 2012. Esta informação não tinha qualquer respaldo bíblico, mas apenas predições falsas de falsos profetas apocalípticos, e mesmo assim milhares de pessoas tomaram suas providências na tentativa de “escapar” do “Fim do mundo”, obviamente fruto de seus medos.

Quero concluir meu ponto de vista sobre esta questão dizendo que: se o medo  é o resultado do conhecimento por parte do homem de que uma de suas áreas está desprovida de segurança, total ou parcial, então a forma mais inteligente de minimizar, ou acabar com o medo do fim do mundo, é ter no coração três certezas: 1º. Que Deus nos garante a segurança da vida eterna após a transição do evento chamado Fim do mundo Jo 3:16; 2º. Ter a convicção de que apenas Deus detém a informação do dia e a hora deste evento, Atos 1:7; 3º. Que muitos falsos profetas se levantarão na tentativa de enganar os escolhidos Mt 24:23-24

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013


IMORAL

Corromperam o paraíso.
Poluíram o rio de águas cristalinas.
Devastaram todo o verde
e em seu lugar levantaram cenários de cimento armado,
para neles os próprios homens representarem
seus papeis no grande teatro da vida.

Povoaram o solo virgem.
Suas mentes involuíram em atitudes,
no conhecimento das coisas espirituais
e na opção de escolher um deus criado por si próprio
ao invés do Criador.

Na escola da imoral todos aprendem com o que ouve e ver:   
no Out door da estrada, nos programas de televisão,
nos papos que rolam nas praças,
em letras sujas de canções.
Nos livros, na exibição do corpo  quase nú,
nos gestos sensuais, e acham tudo tão comum.

É imoral esse comportamento destoante.
É imoral rasgar os avisos de proibição.
É imoral adotar condutas sem respeito a vida.
É imoral simplesmente achar que tudo isso normal.

Clóvis Amaral
video
Poesia narrada: Ministério de amor - Autor: Clóvis Amaral
Direitos autorais reservados

video
Poesia narrada: As últimas horas de Cristo - Autor: Clóvis Amaral.
Direitos autorais reservados
Relato baseado nos escritos dos evangelhos onde retrato de forma poética e detalhada as últimas horas que antecederam a morte de Cristo no madeiro.







quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

video
Pantomima "Getsemani" - Teatro com luz negra executado por adolescentes.Exibida no dia 25 de dezembro de 2012 no Templo Batista em Itapuã - Salvador-BA


Bastidores - Teatro luz negra

Bastidores Teatro luz negra

Bastidores - Teatro luz negra